sábado, 17 de junho de 2017

BRINCADEIRAS

Resultado de imagem para safari

BRINCADEIRA  -  SAFÁRI

     Divida a turma em duas equipes: uma será o grupo dos leões e a outra, o grupo dos elefantes.
     Escolha duas crianças para fazer o papel de caçador, que será, na verdade, o pegador da brincadeira.
     Coloque cada grupo em uma extremidade do pátio ou da quadra e explique que aquela é a toca. Todas as vezes que o professor disser ‘SAFÁRI’, os animais devem trocar de toca e os caçadores devem tentar pegar os animais durante a troca.
      Os animais que forem pegos são transformados em caçadores. Vence a equipe na qual algum dos integrantes não foi pego. Os caçadores não podem invadir a área destinada à toca.

Resultado de imagem para elefantinho colorido

BRINCADEIRA – ELEFANTINHO COLORIDO

     Para brincar de ‘Elefantinho colorido’, leve as crianças para um local espaçoso e colorido.
     Escolha uma criança para comandar a primeira rodada. Ela deverá ficar na frente de todos e dizer:
      ─ Elefantinho colorido!
     O restante da turma responde:
     ─ Que cor?
     A criança ‘comandante’ escolhe uma cor e os demais saem correndo para tocar em algo que tenha a cor escolhida.
     Vale se a cor pedida estiver na roupa, no cenário ou em qualquer outro local do ambiente.
     Se a criança ‘comandante’ conseguir pegar alguma criança antes que ela chegue à cor, é considerada capturada. O comandante deve sempre escolher uma cor que não está em um local de fácil acesso para dificultar o trabalho dos demais.
     Vence a brincadeira quem ficar por último.
 




quarta-feira, 14 de junho de 2017

A HISTÓRIA DE SUSANA














A DESCOBERTA DOS SENTIDOS


Tema: Corpo, dádiva divina. Os sentidos do corpo humano.
Ana Maria era uma garotinha muito sapeca que vivia numa casa amarela. Ela adorava estudar, brincar, cantar. Ela gostava de correr e de se esconder.
Ana Maria gostava de descobrir coisas novas e foi com essa curiosidade que ela saiu um dia para aprender algo novo e assim começou uma nova aventura em busca de conhecimento.
Num belo dia ensolarado ao passear no parque ela viu outras crianças brincando. Esse grupinho de garotos estava jogando bola. Aninha ficou intrigada. Ela viu outro grupinho mais adiante. Era de meninas que estavam brincando de amarelinha. Muitas perguntas apareciam em sua cabecinha.
De onde vem a energia com que a gente brinca? Aninha se perguntava.
Continuando a sua aventura Aninha se deparou com um jardim. Haviam muitas flores perto da lojinha de doces onde ela comprou muitas balas.
De onde vem as cores das flores? Como a gente percebe as cores dos doces? (visão)
A menina curiosa continuava sua pesquisa e ia se surpreendendo cada vez mais com as coisas com que ia se deparando. Ela caminhava pelo parque saboreando suas deliciosas balas e de repente ouviu um estalo:
- Opa, de onde vem o sabor doce dos doces? Ela se questionou. (paladar)
- Como nós sentimos o perfume das flores? (olfato)
É, nossa pesquisadora era muito curiosa e estava se divertindo muito no parque e com as coisas que ela estava percebendo. Durante o seu passeio ela encontrou seu amigo Caio acompanhado do Bóris seu cachorrinho de estimação.
- Oi, Caio, tudo bem? Que bom te ver. Oi, Bóris! Ela se abaixou e abraçou o cãozinho que fez a maior a festa ao vê-la e a encheu de lambidas carinhosas.
- Oi Aninha. Tudo beleza?
- Sim, beleza. Estou fazendo algumas pesquisas de umas coisas bem curiosas. Aninha deu a ele algumas balas.
- Obrigado, adoro essas balas coloridas. Posso te ajudar nas suas pesquisas, Aninha?
- Sim, Caio. Vamos lá. Agorinha mesmo ao abraçar o Bóris eu estava pensando em como ele é fofo e macio.
- Sim, ele é bem fofinho. Minha mãe dá banho nele toda semana.
- Como a gente sente a fofura do Bóris, Caio? (tato)
- Não sei, Aninha.
Os três, nossos amiguinhos e Bóris, continuavam a caminhar e encontraram alguns jovens cantando e tocando violão mais a frente no parque.
- Como percebemos o som, Caio? (audição)
- Sei não, Aninha. Como a gente faz para entender essas coisa? Quem será que tem essas respostas, Aninha?
- Eu sei.
- Aninha e Caio se olharam sem entender nada.
- Quem foi que disse que sabe, Caio?
- Eu.
- Eu, quem? Os dois perguntaram ao mesmo tempo.
- Aqui em baixo. Sou eu quem está falando, o Bóris.
- Bóris!!! Não sabíamos que você falava!
- Pois é, eu falo sim. E eu sei sobre essas coisas que vocês querem saber. É só me perguntar.
- Como a gente vê as coisas, Bóris?
- Pelos nossos olhos.
- Como a gente sente o cheiro das flores e o fedor do xulé do pé do Caio?
- Ei, eu não tenho xulé. Caio protestou.
- O cheiro a gente percebe com o nosso nariz. Eu sou muito bom de nariz. Farejo muito.
- Como a gente sente o sabor doce dos doces? Como a gente percebe o azedo do limão?
- Pelo nossa língua.
- E como a gente sabe que você é macio e fofinho?
- Através da nossa pele.
- E como escutamos músicas, ouvimos o passarinho cantar, a mamãe nos chamar?
- Com os nossos ouvidos. E tudo isso, olhos, nariz, língua, ouvidos e pele são os sentidos de nosso corpo.
- Sentidos?
- Sim é pelos sentidos que nós percebemos as coisas como a Aninha e o Caio viram hoje. Os olhos são o sentido da visão. O nariz corresponde ao sentido do olfato. Os ouvidos são a audição. O paladar é o sentido da língua e a nossa pele é o tato.
- Hum, e a energia com que as crianças brincam e os adultos trabalham?
- Essa é a saúde. A saúde nos permite correr, brincar, trabalhar, se divertir, estudar.
- E quem fez tudo isso?
- Tudo isso foi feito por Deus, Aninha. Deus é muito bom. Nos deu muitas bênçãos para sermos felizes.
- Nossa, Bóris, você é mesmo sabido, um “sabicão”.
- Nem tanto, nem tanto, crianças.
Nossos amiguinhos voltaram pensativos para casa. Lembrando das palavras de Bóris e principalmente reconhecendo a bondade de Deus em nos dar tantas coisas para o nosso bem e felicidade.

PERGUNTAS PARA FIXAR O ENTENDIMENTO
Com qual orgão do corpo enxergamos as cores e qual é o sentido atribuído a este órgão?
Com qual orgão do corpo sentimos o cheiro de comida e qual é o sentido atribuído a este órgão?
Com qual orgão do corpo ouvimos música e qual é o sentido atribuído a este órgão?
Com qual orgão do corpo sentimos o sabor dos doces e qual é o sentido atribuído a este órgão?
Com qual orgão do corpo sentimos o carinho e a maciez de um abraço e qual é o sentido atribuído a este órgão?
A saúde é importante? Por que? O que podemos fazer se não tivermos saúde?
Qual é a importância de Deus em nossas vidas?

sábado, 10 de junho de 2017

EVANGELIZAÇÃO

"EVANGELIZAÇÃO", OBRIGAR OU NÃO? - Divaldo Franco

Resposta: Temos ouvido alguns confrades afirmarem: “Eu não forço os meus filhos, para a evangelização espírita, porque eu sou liberal.” Ao que poderia ajuntar:“Porque não tenho força moral.” Se o filho está doente, ele o força a tomar remédios; se o filho não quer ir à escola, ele o força. Isto porque acredita no remédio e na educação. Mas não crê na religião Quando afirma: “Vou deixá-lo crescer, depois ele escolherá.” Para mim representa o mesmo que o deixar contaminar-se pelo tétano ou outra enfermidade, para depois aplicar o remédio, elucidando: “Você viu que não deve pisar em prego enferrujado? Agora, irei medicá-lo.” Ou tuberculoso, falar-lhe dos preceitos da higiene e da saúde.
Se nós damos a melhor alimentação, o melhor vestuário, o melhor colégio, dentro das nossas possibilidades, aos filhos, porque não lhes damos a melhor religião, que é aquela que já elegemos? Que os filhos, quando crescerem, larguem-na, que optem depois. Cumpre aos pais o dever de dar o que há de melhor. Se eles encontraram, no Espiritismo, a diretriz de libertação, eis o melhor para dar e não deixar a criança escolher, porque esta ainda não sabe discernir. Vamos orientá-los. Vamos “forçá-los”, entre aspas, motivando-os, levando-os, provando em casa, pelo nosso exemplo, que o Espiritismo é o que há de melhor. Não, como fazem muitos: obrigam os filhos irem à evangelização e, em casa, não mantém uma atitude espírita. É natural que os filhos recalcitrem, porque vêem que tal não adianta, pois que os pais são espíritas, mas em casa, decepcionam.
Se, todavia, os pais são espíritas em casa, eles irão, felizes, às aulas de evangelização e de juventude, porque estão impregnados do exemplo.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

DEUS




Aula de Evangelização
Tema: Deus
Livro: Poesias Evangelizando Crianças e Jovens – Neide Gomes Santana
Poesia: Que é Deus?
Que é Deus?
Eu vou responder:
É a causa primeira
Do meu viver!
É a inteligência suprema,
É a fonte de todo amor,
Deus é o Pai amoroso,
Deus é o nosso Criador!
Poesia adaptada para jogral:
Todos: Que é Deus?
Voz 1: Eu vou responder:
Voz 2: É a causa primeira
Voz 3: Do meu viver!
Voz 4: É a inteligência suprema,
Voz 5: É a fonte de todo amor,
Voz 6: Deus é o Pai amoroso,
Todos: Deus é o nosso Criador!
Sugestões: 1: As vozes serão divididas de acordo com a quantidade de evangelizandos na sala podendo repetir vozes se necessário.
2: Sugiro que para a apresentação as crianças já ensaiadas estejam misturadas ao pessoal, sentadas como todos e que leiam ou falem as falas decoradas na sequencia, bem alto e forte, surpreendendo as pessoas que não sabem de onde virá a próxima fala.
3: O Evangelizador anuncia normalmente que haverá uma apresentação das crianças em forma de jogral.


4: Na parte de todos a sincronia é de fundamental importância pois estarão longe.