terça-feira, 29 de dezembro de 2015


La nostra geopolitica! Funziona!!!W
Posted by Walter Kostner on Terça, 13 de outubro de 2015

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

O NATAL É PARA TODOS

TEXTO ADAPTADO

(Uma senhora, sem amigos, sem parentes... lamenta sem esperanças na época do Natal. Crianças, orientadas por suas mães vão até a casa da Senhora montar uma árvore de natal pra ela. Estas crianças e a atitude trazem muita alegria a esta casa, outras pessoas são contagiadas pela alegria e esperança...)
Cenário: Sala de visitas de D. Susana. Tudo bem limpo e arrumado. Duas portas: uma que dá hipoteticamente para os fundos da casa e outra para a rua.

Materiais necessários: árvore; pisca-pisca; estrela para topo da árvore; bolas, cordões prateados ou dourados; balde; mesa para colocar a árvore; toalha; mesa com cadeiras; banco; bolo; suco; frutas; garrafa térmica; copos; pratos; talheres; corações com sentimentos impressos.

( Ouve-se o tocar dos sinos. D. Susana entra pela porta dos fundos. Para, escutando o som dos sinos, que logo param de bater.)

MÚSICA

SUSANA: Vésperas de Natal! Mas que sentido tem o Natal para uma pessoa que vive sozinha? Natal é para as crianças e para quem tem família. Tomara que o Natal passe depressa.

(Senta-se triste, numa cadeira e começa a tricotar. Batem à porta. Ela abre e lá está um grupo de crianças).

CRIANÇA 1: Podemos entrar, Dona Susana? SUSANA: Oh! Sim! Entrem!

CRIANÇA 2: Trouxemos uma árvore de Natal! SUSANA: Uma árvore de Natal? Para mim?

 CRIANÇA 3: Nossas mães acharam que a senhora haveria de gostar... SUSANA: Oh! Sim.

(Crianças entram carregando a árvore de Natal) Vou buscar uma lata para colocar a árvore! (Sai)

CRIANÇA 1: Tenho certeza que uma árvore de Natal trará um pouco mais de alegria a Dona Susana.

 CRIANÇA 2: Ela parece sentir-se muito só, especialmente no Natal.

 SUSANA: (Voltando com o balde). Encontrei este balde que serve direitinho para colocar a árvore.

 CRIANÇA 3: Podemos colocar a árvore ao lado da janela para que possa ser vista da rua?

SUSANA: Sim, vamos colocá-la próxima a janela. Ela vai mostrar a todos que passarem por aqui, que estamos no Natal.

CRIANÇA 1: Nós também trouxemos enfeites para sua árvore.

CRIANÇA 2: Eu trouxe cordões prateados...

CRIANÇA 3: Eu trouxe algumas bolas e um pisca-pisca.

CRIANÇA 1: Eu trouxe uma estrela para o alto de sua árvore.

SUSANA: Vocês são muito bondosos .

CRIANÇA 2: Mamãe disse que todo mundo deve ser feliz no Natal.

CRIANÇA 3: É porque o Natal é o aniversário do Menino Jesus.

CRIANÇA 1: Ele veio para trazer paz na terra e boa vontade entre as pessoas...

CRIANÇA 2: Podemos cantar, enquanto arrumamos sua árvore?

SUSANA: Oh, sim!

CANTAR MÚSICA DE NATAL – PINHEIRINHO AGRESTE 

Oh, árvore! Oh, árvore!

Pinheiro de Natal.

Teu verde é cor o ano inteiro 

Vai de janeiro a janeiro

Oh, árvore!

Oh, árvore!

Pinheiro de Natal! 

CRIANÇA 1: Não está maravilhosa?

SUSANA: É a árvore mais linda do mundo! Não tenho palavras para agradecer tanta bondade!

CRIANÇA 2: Agora, temos que ir.
SUSANA: Um Feliz Natal pra vocês, que Deus abençoe a todos! ( Ela diz enquanto as crianças saem)  
CRIANÇAS: Feliz Natal, Dona Susana! Feliz Natal!

MÚSICA SUSANA: (Admira a árvore). É a árvore mais linda do mundo! (Ouve-se uma batida na porta da frente. Susana abre e um idoso está lá).

SUSANA: Bom dia! Em que posso ajudá-lo?

IDOSO POBRE: (Entrando). Eu gostaria de lhe dizer, que gostei muito de ver sua árvore de Natal pela janela. Estive admirando. Senti um bem estar no coração. Eu não tenho família. O Natal é muito triste para um velho como eu!

SUSANA: (Tendo uma ideia)O Sr. gostaria de vir amanhã, passar o Natal aqui? Terei café e bolinhos!

 IDOSO POBRE: Sim, muito agradecido pela bondade. Deus a abençoe por trazer alegria a um pobre velho, no dia do Natal. (Enquanto ele sai, Susana fecha a porta e o telefone toca. Ela atende)

 SUSANA: Alô! Quem fala?

CARLOTA: (Uma voz falando atrás da cortina). Eu sou Carlota, sua vizinha do outro lado da rua. Meu filho Júlio está encantado com a sua árvore de Natal.

SUSANA: (Feliz) Oh! Obrigada! A senhora poderia vir com seu filho aqui amanhã! Vou fazer uma festinha! Teremos bolinhos, leite e outras coisas!

CARLOTA: Obrigada, Dona Susana, Júlio quebrou o pé, mas daremos um jeito. Iremos com muito prazer. (Enquanto Susana deixa o fone, ouve-se uma pancada na porta. Ela vai abrir. É uma senhora)

SUSANA: Pois não? O que deseja?

SENHORA: Bom dia! Eu queria contar-lhe que eu e meus filhos estivemos admirando sua árvore de Natal. É linda. Nós não pudemos fazer uma árvore neste Natal, por isso saímos para ver a cidade enfeitada.

SUSANA: (alegremente) Venham todos amanhã, assim poderão curtir um pouco mais a árvore. Que acha? Iremos nos confraternizar.

SENHORA: Obrigada minha senhora, faremos o possível para vir. Que Deus a abençoe por nos proporcionar um Natal feliz! (Enquanto sai, toca o telefone).

SUSANA: Alô? Quem fala?

FRANCISCA: (Falando atrás das cortinas). Aqui fala dona Francisca, do orfanato. Levei hoje as crianças para passear, e gostamos imensamente da sua árvore. Foi a árvore mais linda que vimos na cidade.

SUSANA: Oh! Obrigada! Escuta, a senhora não pode trazer as crianças amanhã para passarmos juntos o Natal?

 FRANCISCA: Obrigada, Dª. Susana! Será para nós um prazer. (Enquanto Susana larga o fone, mais uma batida na porta. Está lá um moço bem trajado).

SUSANA: Bom dia!

MOÇO RICO: Bom dia! Eu queria dizer-lhe que estive apreciando sua árvore de Natal. Eu estou só no mundo. Sua árvore de Natal me trouxe gratas recordações do tempo que eu era menino. Eu tinha família e o Natal era tão alegre! Hoje tenho muitas coisas, mas me sinto só...

SUSANA: O senhor gostaria de voltar amanhã? Vamos ter uma confraternização com muitas crianças... o senhor poderá lembrar os seus velhos tempos...

MOÇO RICO: Obrigado. Farei de tudo para poder vir, será um prazer... (Ele sai e Susana continua na porta pensativa).

SUSANA: Poxa! Esse moço é o Sr. Eduardo. Ele é um dos mais ricos da cidade! Nem posso imaginá-lo sozinho e triste no Natal! (Finalmente fica tudo quieto. Susana senta-se para descansar. E pensa alto)

SUSANA: Oh! Vou ter muito o que fazer nesta noite. Será que vou dar conta de tudo? Ah! Mas isso me deixa tão feliz! (Caminha em direção à porta dos fundos, como se fosse para a cozinha. De repente os sinos começam a tocar lá fora. Larga. Volta-se e escuta reverentemente os sinos com o olhar fixo na estrela no topo da árvore. Os sinos param de tocar).

MÚSICA

 ( No dia seguinte após os preparativos, os convidados chegariam. A mesa estaria arrumada.

Dona Susana receberia cada um com frases de gentileza. Cada convidado traria uma plaquinha em forma de coração com um sentimento impresso, que colocaria sobre a mesa (em potinhos com argila) ou penduraria na árvore. Quando todos estivessem reunidos Dona Susana diria: )

SUSANA: Hoje relembramos que o Natal é para todos. Até para aqueles que não tem família ou vivem sozinhos. É para os ricos e para os pobres. É para os que tem saúde e para os doentes! Porque celebramos o nascimento de Jesus Cristo, que veio ao mundo para trazer paz e bênçãos a todos sem distinção!

 MÚSICA – BOM NATAL

Quero ver você não chorar 
Não olhar prá trás 
Nem se arrepender do que faz 
Quero ver o amor vencer 
Mas se a dor nascer 
Você resistir e sorrir 
Se você pode ser assim 
Tão enorme assim 
Eu vou crer 
Que o Natal existe 
Que ninguém é triste 
Que no mundo há sempre amor
 Bom Natal, um Feliz Natal, 
Muito amor e paz prá você 
Prá você 

https://youtu.be/Qjh7Y-tegvc

TODOS JUNTOS: O Natal é para todos! É para todos!

 Grupo Espírita Joana D’Arc – Natal 2015

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

NASCIMENTO DE JESUS EM NOSSOS CORAÇÕES


Objetivo: Entender que o verdadeiro nascimento de Jesus tem que ser em nossos corações.

Recurso: Criar uma “caixa-coração” contendo “figuras”, “objetos”, “palavras”, de sentimentos ruins e as crianças irão retira-los do coração, um a um, por exemplo um sentimento de raiva; após isso, elas irão colocar no coração agora vazio e sem sentimentos ruins, coisas e sentimentos bons, podendo eles serem retirados de revistas junto com as crianças ou figuras já prontas. Resumindo, coração cheio de sentimentos ruins, que serão retirados e colocados sentimentos bons.

Caixa-coração - um coração que tem a possibilidade de inserir e retirar objetos, figuras e outras coisas do coração. Simplificando, uma “caixa” com um formato de coração. Outra opção, um coração de cartolina que conterá figuras de sentimentos ruins colados nele, que serão retirados e colados sentimentos bons.

Atividade: Imagem(cartão) com portas que quando se abre mostra-se a imagem de nascimento de jesus.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

GINCANA




Divide-se as crianças em 2 grupos, Cada grupo vai ser uma família e escolher o seu sobrenome, exemplo, família Santos de Jesus. Eles terão que cumprir tarefas, sendo que a família que terminar uma tarefa ganhará um coração com o significado daquela tarefa. Os significados são de qualidades que uma família deve ter para viver bem. Ao final vamos verificar quais qualidades as famílias conseguiram
conquistar e discutiremos brevemente sobre as qualidades das famílias deles.

1 )A família que chegar primeiro ao orientador com uma lista por escrito contendo o primeiro nome dos colegas da sala, ganha o coração da COMUNICAÇÃO.

2) A família que conseguir achar primeiro todas as palavras do caça-palavras, ganha o coração COOPERAÇÃO.

3) A família que conseguir fazer em 7 minutos, um "slogan", ou propaganda para a classe ganha o coração AMIZADE.
4) A família que conseguir montar o quebra-cabeça primeiro, ganha o coração da UNIÃO.

5) A família que conseguir montar o melhor conjunto musical (5 min. para preparo!) ganha o coração da FÉ.

6) A família que conseguir apresentar primeiro por escrito 5 características para ser um bom filho, ganha o coração do AMOR.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

COMPREENDENDO A CARIDADE



1º. Momento: Dinâmica do Amor
Objetivo: Moral: Devemos desejar aos outros os que queremos para nós mesmos.
Procedimento:
    Para início de ano Ler o texto ou contar a história do "Coração partido" - Certo homem estava para ganhar o concurso do coração mais bonito. Seu coração era lindo, sem nenhuma ruga, sem nenhum estrago. Até que apareceu um velho e disse que seu coração era o mais bonito pois nele havia. Houve vários comentários do tipo: "Como seu coração é o mais bonito, com tantas marcas?" O bom velhinho, então explicou que por isso mesmo seu coração era lindo. Aquelas marcas representavam sua vivência, as pessoas que ele amou e que o amaram. “Finalmente todos concordaram o coração do moço, apesar de lisinho, não tinha a experiência do velho.” Após contar o texto distribuir um recorte de coração (chamex dobrado ao meio e cortado em forma de coração), revistas, cola e tesoura. Os participantes deverão procurar figuras que poderiam estar dentro do coração de cada um. Fazer a colagem e apresentar ao grupo. Depois cada um vai receber um coração menor e será instruído que dentro dele deverá escrever o que quer para o seu coração. Ou o que quer que seu coração esteja cheio.. O meu coração está cheio de... No final o instrutor deverá conduzir o grupo a trocar os corações, entregar o seu coração a outro. Fazer a troca de cartões com uma música apropriada, tipo: Coração de Estudante, Canção da América ou outra.

2º. Momento:

Leitura do texto Compreendendo a caridade (Podendo lê também a Parábola de Jesus, “O Óbolo da Viúva”). 

         Evangelho no Lar é o momento semanal em que a família se reúne para aprender os ensinamentos de Jesus, orar e também enviar boas vibrações para aqueles que necessitam. Naquela noite, após a prece inicial, Fábio leu o trecho O Óbolo da Viúva em O Evangelho Segundo o Espiritismo (capítulo XIII, itens 5 e 6).
         - Acho que não entendi muito bem, disse Susi.
         - Vou tentar contar a parábola de outro jeito - disse Dona Janda. Há uma garota muito rica, que tem muitas roupas. Quando ela não gosta mais de uma roupa, coloca em um enorme baú; quando o baú enche, ela doa as roupas em um orfanato e fica esperando que lhe agradeçam.
         - Uma outra garota, continuou o pai, não tem muitos brinquedos. Ela costuma brincar com as crianças em um orfanato perto de sua casa e, às vezes, leva um de seus brinquedos para doar àquelas crianças que tem menos que ela. Não espera agradecimentos e doa com amor.
        - Qual delas faz a verdadeira caridade? A garota que doa o que sobra e espera agradecimento, ou a que doa pouco, mas faz com amor?
         Antes que alguém pudesse responder, o pai continuou:
         - E uma outra garota, muito pobre, será que ela pode fazer caridade?
         - E o que ela vai dar se não tem quase nada? - pergunta Susi.
         - Amor, carinho, respeito - disse logo a mãe. Ela pode visitar um doente, ajudar um amigo, fazer boas ações, sempre com amor.
         Conversando, eles entenderam que a verdadeira caridade é a que realizamos com amor, sem esperar agradecimentos. E que é possível realizá-la doando coisas materiais e através de pensamentos, palavras e ações.
         Seguiram, então, enviando vibrações para que todas as pessoas compreendessem e praticassem a verdadeira caridade. Terminaram o Evangelho no Lar com uma prece. Mais uma vez, foi um momento importante de esclarecimento, união e amor daquela família. 
Cláudia Schmidt
Questionar: (Podendo dividira Turma em dois Grupos para dar as respostas abaixo)
1.  Alguém aqui faz o Evangelho no Lar?
2   Alguém já ouviu a Parábola de Jesus sobre o Óbolo da Viúva?
3.  Por que O Óbolo da Viúva teve mais valor do que a esmola dos outros depositários?
4. Quais os tipos de Caridade que conhecemos e que podemos aplicar na nossa vivência diária?
Aula elaborada por Teresinha Medeiros.

A GAIVOTA QUE NÃO PODIA VER