segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

TRILHA DAS BOAS MANEIRAS

















AS BOAS OBRAS QUE VAMOS FAZER




OBJETIVO DA AULA: Conscientizar as crianças da oportunidade de um novo ano que se inicia. Realizar rápida retrospectiva do que foi o ano que se passou. Pensar bastante o que faremos, quais são os nossos “sonhos”. O que mais queremos para nossas vidas. Se preocupamos mais com as coisas materiais, se pensamos um pouco no nosso crescimento espiritual. Qual é a ideia que temos do significado de Boas Obras. O quê representa grandes obras ou pequenas obras? O que o Mestre Jesus espera de nós? Qual é o caminho que Ele nos ensinou a trilhar? Como é a nossa convivência em família na construção das nossas obras? Qual o significado do “Amor ao nosso próximo” e como devemos viver este mandamento?
- Separar os conceitos de obra material e obra espiritual. (Bens materiais X Bens espirituais)
- Enfatizar a necessidade da construção de tesouros que levaremos conosco. Explicar como conseguiremos esta realização.

Conteúdo Evangélico / Doutrinário

Prece inicial

1º Momento: Ler para as crianças - Mateus cap. 5 vers.16

“16 Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.”


Conversar com as crianças explicando o significado deste profundo ensinamento à luz da doutrina espírita.
Exemplificar com simplicidade para alcançar o entendimento das crianças.
Falar sobre o preparo diário com oração e vigilância.
Correlacionar com profissões, suas funções e benefícios. Sempre tentando “puxar” a “pequena bagagem de conhecimentos” que cada um traz.
Citar pequenos gestos que se transformam em grandes obras em determinadas situações.
Falar da solidariedade das pessoas no incêndio ocorrido no sul recentemente. Traçar um paralelo com as coisas erradas que ocasionaram o terrível acidente.

2° Momento:


Fazer uma dinâmica com as crianças para eles vivenciarem uma situação em que possam realizar uma boa ação e que esta ação represente uma Boa Obra.

Exemplos e Sugestões:

- Uma situação no trânsito, ajudando um idoso, ou cego atravessar a rua. Onde uma criança será o semáforo. Um será o carro, ou bicicleta andando na via. E outros dois ou mais que serão o que vai ajudar e o que será ajudado.

- Uma situação na sala de aula ou em casa, onde alguém precisa de ajuda. Escolher os personagens e auxiliar na dramatização.

Sempre concluindo os benefícios daquele auxílio prestado, os males evitados e as bênçãos recebidas.


3° Momento:

Realizar uma cartilha com gravuras de revistas ou desenhos para colorir.
Os desenhos ou gravuras deverão retratar situações sobre o tema da aula.

4° Momento:

- Recolher os materiais utilizados.
- Concluir o tema da aula

5° Momento:

- Música
- Oração de agradecimento.




FAMÍLIA - COLABORAÇÃO

















HISTORIA DE PEDRO




A HISTORIA DE PEDRO - GRAVURAS

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

AULA INAUGURAL



Ciclo: 1º Ciclo

OBJETIVO GERAL

Recepcionar e conhecer a turma, motivando-os para o ano de estudo e reforma intima que se
inicia.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Conhecer os evangelizadores que estarão à frente da turma;
 Interagir entre os pares;
 Estabelecer regras de convívio dentro de sala;
 Compreender o objetivo da ação evangelizadora.

DESENVOLVIMENTO

Prece inicial

 – Dinâmica do espelho 

- Mostrar uma caixa para as crianças com um espelho. Dizer  que lá dentro consta uma coisa que pode mudar o mundo.

 – Dinâmica da virtude

- Refletir sobre como o que eles viram na caixa poderá mudar o mundo. Sugerir que isso pode ser feito nos tornando melhores e que a evangelização é uma ferramenta essencial para isso. Propor uma brincadeira em que cada um vai pensar em uma virtude (explicar o que é virtude e dar exemplos) que gostaria de desenvolver em si mesmo durante o ano para transformar-se. Cada um, inclusive os evangelizadores, vão dizer o  nome, contar um pouco de sua vida, dizer qual virtude e como pretende conseguir isso.

Cada um deve escrever essa virtude em um coraçãozinho e colar no mural.

Combinado - Explicar o que é a evangelização e para que serve. Logo depois

propor que digam como devemos nos comportar na CE

– Prece final

Bibliografia: KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB. Capítulo XVII -
Sede Perfeitos.

CONCLUSÃO

O encontro terá sido satisfatório se os evangelizadores conseguirem transmitir, com  simplicidade e fidelidade, a importância da reforma íntima e o cultivo de virtude em nossa vida. Além disso, o processo inicial de interação é fundamental nesta aula, inclusive no que diz respeito ao aspecto comportamental em sala.










Pais e Evangelização

 Que orientações os Amigos Espirituais dariam aos pais espíritas em relação ao encaminhamento dos filhos à Escola de Evangelização dos Centros Espíritas?

 R: Conquanto seja o lar a escola por excelência onde a criatura deva receber os mais amplos favores da educação, burilando-lhe o sentimento e o caráter, não desconhecemos a imperiosidade de os pais buscarem noutras instituições sociais o justo apoio à educação da prole; e, assim, deverão encaminhar os filhos, no período oportuno, para a escola do saber, viabilizando-lhes a instrução. Entretanto, jamais deverão descuidar-se de aproximá-los dos serviços de evangelização em cujas abençoadas atividades se propiciará a formação espiritual da criança e do jovem diante do porvir. Há pais espíritas que, erroneamente, têm deixado, em nome da liberdade e do livre-arbítrio, que os filhos avancem na idade cronológica para então escolherem este ou aquele caminho religioso que lhes complementem a conquista educativa no mundo. Tal medida tem gerado sofrimento e desespero, luto e mágoa, inconformação e dor. Porque, uma vez perdido o ensejo educativo na idade propícia à sementeira evangélica, os corações se mostram endurecidos, qual terra ressequida, árida, rebelde ao bom plantio, desperdiçando-se valioso período de ajuda e orientação. É então que somente a dor, a duros golpes provacionais, pode despertar para refazer e construir.

 Bezerra de Menezes (1982) Livro: Sublime Sementeira, org. Miriam Masotti Dusi, Feb, 2012